O Portal do Norte do Paraná
Região

Londrina realiza trabalho de campo do 3º LIRAa nesta segunda-feira

A coordenação de Controle de Endemias da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) realiza, a partir da próxima segunda-feira (10), o trabalho de campo necessário para elaborar o 3º Levantamento Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) de 2023. A ação será conduzida durante cinco dias, de 10 a 15 de julho, das 7h30 às 18h30, com a participação de aproximadamente 200 agentes de Endemias.

Nesta etapa, os agentes vistoriam imóveis à procura de água parada e de focos do mosquito. A vistoria será feita em cerca de 9.500 imóveis residenciais e comerciais, além de construções e terrenos baldios, de 260 localidades da zona urbana. Durante o trabalho de campo, quando os agentes encontram focos de mosquito, é feito o recolhimento da amostra, que é enviada para o laboratório, a fim de identificar se é do Aedes aegypti ou de outra espécie. O restante dos focos é eliminado pelos agentes, os quais também orientam os moradores sobre como evitar a proliferação do Aedes.

O 2º LIRAa de 2023, que seria realizado em abril, foi cancelado pela SMS, devido ao aumento dos casos de dengue em Londrina, para não interromper as ações de bloqueios de transmissão viral. O 1º LIRAa do ano, divulgado em janeiro, apontou um índice de infestação de 5,50% no Município, o que significa que a cada 100 imóveis vistoriados, cinco estavam com focos positivos do Aedes aegypti.

Sobre o levantamento – O LIRAa é um método simplificado que permite identificar como está a infestação e distribuição do vetor Aedes aegypti no município. Trata-se de um trabalho de amostragem, que possibilita identificar os bairros mais críticos e quais depósitos (de focos) são predominantes na área.

O Ministério da Saúde classifica que municípios com Índice de Infestação Predial inferior a 1% estão em condições satisfatórias; de 1% a 3,9% é considerada situação de alerta; e, quando é superior a 4%, há risco de surto de dengue.

O LIRAa é um indicador imediato da proporção de vetores em cada localidade, porém, o que direciona e proporciona as intensificações das ações é o aumento no número de casos notificados da doença, em curto espaço de tempo, em determinada localidade.

Boletim da Dengue – De acordo com o último relatório epidemiológico sobre a situação da doença em Londrina, divulgado ontem (6), o município acumula, do início do ano até o momento, 60.040 notificações relacionadas à dengue, das quais 31.173 estão confirmadas, 10.771descartadas e 18.096 encontram-se em análise, aguardando o resultado de exames. Desde o início deste ano, até o momento, foram contabilizados 29 óbitos por dengue, sendo o último confirmado no período da última semana.

Segundo o coordenador de Endemias, Nino Ribas, a Prefeitura está realizando diversas ações de combate ao Aedes, entre elas o projeto-piloto para controle do mosquito Aedes aegypti, em parceria com a empresa Forrest Brasil Tecnologia. Por meio da iniciativa, 350 mil machos estéreis do mosquito serão soltos semanalmente, durante um período de seis meses, no Conjunto Mister Thomas. Esses insetos fecundarão as fêmeas do Aedes aegypti, porém, os ovos resultantes não prosperarão, o que deverá diminuir progressivamente a quantidade de mosquitos no município. A soltura dos mosquitos iniciará na próxima segunda-feira (10).

Também estão sendo realizadas outras ações, como: atendimento de casos suspeitos de arboviroses, realizando busca de novos sintomáticos e eliminações de possíveis criadouros; vistorias em imóveis classificados com “pontos estratégicos”; atendimento a denúncias feitas por munícipes via 0800 e ouvidoria; monitoramento através de armadilhas ovitrampas; mutirões educativos e limpeza de imóveis críticos; intensificação de atividades em bairros com alta incidência de casos suspeitos de aboviroses; atividades de levantamento de índices entomológicos e atendimento de imóveis em poder de imobiliárias e/ou particular. São conduzidas, ainda, ações educativas, como palestras nas escolas, empresas e junto à sociedade civil organizada.

Disque-Dengue – A população pode fazer denúncias de imóveis ou áreas suspeitas de terem focos do mosquito Aedes aegypti, entre eles terrenos baldios ou ambientes que possam facilitar a proliferação do vetor. O contato pode ser feito pelo telefone 0800-400-1893, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Quando o munícipe é notificado como estando com suspeita de arboviroses, as equipes da Endemias realizam os bloqueios dos casos dentro de 48 horas.

Orientações – A SMS orienta que cada família dedique 15 minutos de seu tempo, uma vez por semana, para vistoriar sua casa e quintal, verificando se há objetos que podem acumular água. Os itens devem ser removidos e descartados em sacos plásticos para a coleta seletiva ou para o recolhimento pelo caminhão de lixo. Com uma ação semanal, é possível impedir que ovos, larvas e pupas do mosquito cheguem à fase adulta, freando a transmissão das doenças provocadas pelo Aedes, como a dengue, zika e chikungunya.

Ribas reforça a importância de manter os cuidados, mesmo no inverno, período em que diminui a incidência da dengue. “O ovo do mosquito dura, em local úmido, mais de um ano, ou seja, às vezes temos ovos de mosquito em objetos em desuso nos nossos quintais e que, em contato com a água, eclodem em 30 minutos, já iniciando o processo de proliferação do vetor”, explicou.

ASSESSORIA

MAIS INFORMAÇÕES NA RÁDIO COBRA FM 107.1

Postagens relacionadas

Pessoas que falaram ao celular com atirador de Cambé estão sendo interrogadas

Coronavírus: Com 57 confirmações em uma semana, Saúde de Rolândia alerta para medidas preventivas

Cobra News (User)

Colisão envolvendo vários veículos é registrada na BR-369

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais