O Portal do Norte do Paraná
Política

Lei propõe suspensão de pagamentos a políticos afastados pela justiça

A Lei foi protocolada por vereadores de Rolândia, passará por duas votações na Câmara Municipal e será promulgada por seu presidente, sem a necessidade de sanção do prefeito.

 

Nesta quarta-feira (6) os vereadores Alex Santana (PSD), João Ardigo (PSB), Reginaldo Silva (SD), Andrezinho da Farmácia (PSC) e Rodrigão (SD) protocolaram uma proposta de Emenda à Lei Orgânica do Município para incluir os artigos 29-A e 74-A, que trata das seguintes disposições:

O vereador, prefeito e vice-prefeito, “afastado temporariamente de suas funções, por ordem judicial, ainda que em processo não transitado nem julgado, não fará jus ao subsídio (prefeito, vice-prefeito e vereador) e verba de representação (vereador) de seu cargo após 30 dias de afastamento, podendo, no entanto, exercer atividade laboral remunerada, se por outro motivo não houver impedimento”.

O projeto será lido na 1ª Sessão Ordinária de 2019, na segunda-feira (18). Logo após, será encaminhado para as comissões permanentes e uma Audiência Pública será convocada. Com os pareceres favoráveis das comissões, o projeto será entregue ao presidente da Casa de Leis, que deverá incluir em pauta para votação. Entre a primeira e a segunda votação é necessário um intervalo de 10 dias. São necessários 3/5 dos votos da Casa para aprovação, ou seja, seis votos. Ao final, o presidente Eugênio Serpeloni (PSD) irá promulgar a Lei, sem a necessidade de sanção do prefeito.

De acordo Alex Santana, “levando em consideração a atual situação política do município de Rolândia, em que o prefeito encontra-se afastado e recebendo o subsídio, mesmo sem estar em exercício efetivo do mandato, é necessária e terá uma grande relevância essa alteração da Lei Orgânica. Por isso solicitei aos nobres pares assinarem. O nosso povo está clamando por isso e como representantes que somos, faremos isso”.

João Ardigo dá ênfase que “a alteração não será exclusiva para o prefeito e sim para os vereadores também, pois assim mostra a transparência e respeito com seu eleitorado e com todos os munícipes”.

Conforme justificativa da proposta, constatado o afastamento do vereador ou prefeito por ordem judicial, para exercer o seu mandato, ainda que temporariamente, e não estando o agente político albergado por causa legal que autorize a continuidade do recebimento de seu subsídio, impõe-se a suspensão dos seus respectivos pagamentos.

Informações e fotos da Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal

 

Outras informações na programação da Rádio Cultura AM 930

 

Postagens relacionadas

Carga tributária não justificará aumento do diesel, diz Haddad

Cobra News (User)

Ratinho Junior aparece pela primeira vez em pesquisa sobre a disputa pela presidência em 2026

Cobra News (User)

Filipe Barros lidera disputa pela Prefeitura de Londrina em 2024

Cobra News (User)

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais