O Portal do Norte do Paraná
Brasil

Jogador ferido em incêndio no Flamengo deixa o CTI

O atleta do Flamengo Francisco Dyogo deixou ontem (13) o Centro de Tratamento Intensivo (CTI) e se recupera em um quarto do Hospital Vitória, onde está internado desde que se feriu no incêndio que deixou 10 mortos no Ninho do Urubu, na última sexta-feira (8).

Segundo o boletim divulgado pelo clube, o jogador está evoluindo bem, já respira sem auxílio e segue o tratamento com antibióticos.

O outro jogador do Flamengo que permanece internado é Jhonata Ventura, que está em um leito de terapia intensiva no Centro de Tratamento de Queimados do Hospital Estadual Pedro II. Jhonata está acordado e atende a comandos simples.

Um exame de broncoscopia realizado ontem (13) constatou melhora importante em lesões nas vias aéreas do rapaz, que sofreu os ferimentos mais graves entre os três sobreviventes do incêndio. O atleta recebeu curativos biológicos para auxiliar na cicatrização das lesões em sua pele.

O terceiro atleta que se feriu no incêndio e sobreviveu foi Cauan Emanuel, que recebeu alta na terça-feira (12) e já está em casa.

Vistorias

Terça-feira (12), o Centro de Treinamento do Flamengo recebeu vistorias do Ministério Público do Rio de Janeiro, do Ministério Público do Trabalho, do Corpo de Bombeiros, da Defensoria Pública e da Polícia Civil. Os órgãos apresentarão um relatório conclusivo amanhã (15), às 10h, na sede do MP-RJ.

Foram levantadas informações técnicas relacionadas às instalações do Ninho do Urubu e a questões ligadas à proteção dos direitos da infância e da juventude.

A interdição do centro de treinamento é uma hipótese que ainda não foi descartada. Ontem, o time profissional do Flamengo utilizou a estrutura do CT.

Via Agência Brasil

Foto: Reprodução

 

Mais notícias na programação da Rádio Cultura AM 930

Postagens relacionadas

Após cirurgia, Raul Gil está em observação na UTI e respira sem aparelhos, diz hospital em SP

Chuvas no RS causam ao menos 116 mortes e deixam 143 desaparecidos

Cobra News (User)

Produção de vacina russa contra Covid-19 pelo Tecpar será fiscalizada pelo Tribunal de Contas do Paraná

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais