O Portal do Norte do Paraná
Região

Apucarana registra caso confirmado de febre do oropouche; saiba o que é

A Autarquia Municipal de Saúde de Apucarana (AMS), por meio do “teste sentinela”, que é periodicamente utilizado em amostragens de sangue de pacientes, acabou detectando um caso de febre do oropouche, via Laboratório Central do Estado (Lacen) no município.

O paciente, um homem de 57 anos, foi diagnosticado após procurar atendimento no Lagoão, devido a sintomas inicialmente relacionados à dengue.

O usuário, cuja identidade permanece preservada, apresentou sintomas típicos de arboviroses, levando os profissionais de saúde a suspeitarem de dengue. Contudo, exames mais detalhados revelaram a presença do vírus da Febre Oropouche em seu organismo.

O resultado positivo de um paciente, suspeito de ter contraído dengue, foi confirmado hoje (24) pelo Lacen. Segundo o secretário de saúde, Emídio Bachiega, a febre do oropouche é uma doença rara, que às vezes é confundida com dengue e da chikungunya .

“Nesta quinta-feira, dia 25 de abril, teremos uma reunião na 16ª Regional de Saúde de Apucarana, para avaliar com especialistas quais providências serão adotadas, após a confirmação de um caso de febre do oropouche em Apucarana”, informou Bachiega.

A Autarquia Municipal de Saúde de Apucarana solicitou o aumento do número de exames sentinela. De cinco, o número subirá para dez, a fim de monitorar e identificar eventuais novos casos.

A Febre Oropouche, transmitida principalmente por mosquitos do gênero Culicoides, é uma doença febril aguda com sintomas semelhantes aos da dengue, tornando o diagnóstico preciso essencial para o tratamento adequado e o controle da disseminação.

Casos isolados e surtos foram relatados no Brasil, principalmente nos estados da região Amazônica.

SINTOMAS

Os sintomas da Febre do Oropouche são parecidos com os da dengue e da chikungunya: dor de cabeça, dor muscular, dor nas articulações, náusea e diarreia.

DIAGNÓSTICO

O diagnóstico da Febre do Oropouche é clínico, epidemiológico e laboratorial.

TRATAMENTO

Não existe tratamento específico. Os pacientes devem permanecer em repouso, com tratamento sintomático e acompanhamento médico.

PREVENÇÃO

Evitar áreas onde há muitos mosquitos, se possível.

Usar roupas que cubram a maior parte do corpo e aplique repelente nas áreas expostas da pele.

Manter a casa limpa, removendo possíveis criadouros de mosquitos, como água parada e folhas acumuladas.

Se houver casos confirmados na sua região, siga as orientações das autoridades de saúde local para reduzir o risco de transmissão, como medidas específicas de controle de mosquitos.

Fonte: Tarobá News

MAIS INFORMAÇÕES NA RÁDIO COBRA FM 107.1

Postagens relacionadas

Secretaria de Trabalho de Cambé está com o cadastro aberto para quem quer finalizar os estudos

Cobra News (User)

Campanha de vacinação contra Poliomielite e Multivacinação começa nesta segunda-feira (28)

AMEPAR decide apoiar reabertura do comércio na próxima semana com restrições

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais