O Portal do Norte do Paraná
Região

TCS apresenta plano de expansão de suas operações em Londrina

A Tata Consultancy Services (TCS), multinacional líder em serviços de Tecnologia da Informação (TI) e soluções empresariais, vai expandir as operações de seu delivery center sediado em Londrina. A empresa, presente na cidade desde 2018, deve dobrar o número de funcionários nos próximos anos e implementar uma nova sede.

O anúncio foi feito originalmente no dia 15 de abril, durante visita de comitiva paranaense na sede da Tata/TCS, localizada em Nova Deli (Índia), com a presença do governador Ratinho Júnior, o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, mais o CEO da TCS, Krithi Krithivasan, entre outras autoridades. E durante solenidade realizada no saguão da Prefeitura de Londrina, na manhã deste sábado (27), o prefeito Marcelo Belinati e o CEO da TCS no Brasil, Bruno Rocha, apresentaram alguns detalhes da iniciativa.

A TCS integra o escopo de tecnologia do Grupo Tata, companhia fundada na Índia em 1868 que atua nos ramos de varejo, hotelaria e turismo, serviços financeiros, automotivo, metais, infraestrutura, negócios e investimentos, e telecomunicações. Além do Brasil, os países da América Latina com presença da TCS incluem Argentina, México, Colômbia, Peru, Equador, Guatemala e Uruguai.

Para o campus em Londrina, a empresa prevê a criação de 1.600 empregos diretos no decorrer dos próximos cinco anos. Atualmente, a TCS emprega cerca de 1.700 pessoas no município. Esse delivery center será especializado em áreas-chave da tecnologia, como Transformação de Negócios, Inteligência Artificial e Operações Comerciais Cognitivas. O objetivo é oferecer um escopo abrangente de serviços de TI para clientes dentro e fora do Brasil.

Foto: Emerson Dias/ NCom

O prefeito Marcelo Belinati enfatizou que a expansão da TCS no município será realizada em etapas, com as novas contratações já em andamento. Para suprir a mão de obra especializada, Marcelo citou a importância do trabalho conjunto entre instituições de ensino e poder público, de forma a garantir o preenchimento das vagas. “São três etapas de expansão, cada uma com mais de 1.600 empregos. Imagina a dimensão disso, a dificuldade que vai ser conseguir o profissional com qualificação para trabalhar nessa área. Por isso estamos unindo a todos – universidades, instituições, Prefeitura, Governo do Estado, para criarmos mecanismos e dar condições à população de Londrina e região se qualificar para uma vaga dessas”, contou.

Foto: Emerson Dias/ NCom

Segundo o prefeito, a vinda da multinacional de tecnologia para Londrina em 2018 traz grandes benefícios para toda a comunidade, já que além de oferecer um grande número de postos de trabalho, também incentiva a capacitação dos profissionais e movimenta a economia local. “A média salarial de funcionários da TCS é de mais de R$7 mil. Só na primeira expansão, serão quase R$170 milhões que vão entrar todos os anos na economia da cidade. E quando terminarem as três etapas, serão mais de R$500 milhões na economia de Londrina. É algo fantástico que transforma a cidade de Londrina no polo nacional e da América do Sul na área de TI e inovação. Daqui, prestaremos serviços e criaremos tecnologia para empresas do mundo todo. Isso transforma Londrina para o futuro”, frisou.

Para que a implantação da nova sede ocorra o quanto antes, Marcelo explicou que a Prefeitura deve montar uma equipe de servidores para receber os projetos da obra, de forma a garantir que os trâmites sejam cumpridos e os trabalhos iniciem o mais rápido possível. “Quando uma empresa desse tamanho vem para a cidade, várias outras vêm junto. Temos dados oficiais que cada emprego direto gera três novos outros empregos indiretos. É uma coisa fantástica. As antigas fábricas estão cada vez mais automatizadas e geram poucos empregos. Mas essa indústria de tecnologia é diferente, o grande capital deles é o capital humano, são as pessoas. Eles precisam de gente para desenvolver tecnologia, isso gera emprego e renda e é muito bom para nossa cidade”, concluiu.

Foto: Emerson Dias/ NCom

Durante a apresentação do plano de expansão, o CEO da TCS no Brasil, Bruno Rocha, reforçou que a companhia tem forte atuação filantrópica em suas origens e visa a formação de capital intelectual entre seus funcionários. “A grande transformação não é um prédio; é a contratação dos jovens, atração de talentos para a cidade, do país e do mundo. É tornar Londrina um centro de referência em tecnologia a nível global. O que executamos aqui também fazemos para grandes empresas dos EUA e Europa. Nossa missão é atrair talentos, e peço a vocês o apoio para atrair técnicos de mais experiência, que nos ajudam a formar esses times. Nosso sonho e objetivo é contratar aqui, temos interesse e vagas abertas. E agradeço o imenso carinho e atenção de Londrina com nosso time”, disse.

De acordo com o CEO, a expansão das operações em Londrina ocorrerá em duas frentes e de forma paralela. A primeira, e principal, envolve a contratação e formação de novos colaboradores; já a segunda frente envolve um novo campus, que precisa crescer fisicamente para comportar esse número maior de funcionários.

Neste trimestre, está em andamento a admissão de cerca de 250 pessoas. “Vamos ter uma nova estrutura com 1.600 posições de trabalho a mais. Está tendo uma licitação para o prédio, devemos anunciar o local e iniciar a construção até o final desse ano. Será no centro da cidade, com certeza. E vamos continuar contratando, continuamente, independente da construção do prédio. A meta é dobrar o quadro de funcionários em um prazo muito inferior a isso. O desafio é formar pessoas, contratá-las e engajá-las; cada vez mais contratar em Londrina e formar aqui nosso time de colaboradores. A TCS investe em capital intelectual, não ativos fixos. Então o grande investimento é feito na formação desses jovens, é o esforço que temos feito para criar valor para a companhia”, reforçou o CEO da TCS.

Sobre os seis anos de presença da TCS na cidade, Rocha destacou que Londrina possui um cenário que favoreceu a vinda da multinacional e tem estimulado essa ampliação. “Londrina foi escolhida a partir de uma seleção de todos os municípios brasileiros. Ao final terminamos com três cidades, Londrina entre eles, e suas características eram tão acima das demais que a escolha foi óbvia. É um local com 10% da população como estudante universitário, baixo índice de criminalidade, baixo custo de vida e índice geral de felicidade da população muito alto. Uma cidade jovem, com diferentes ferramentas de tecnologia, como o SENAI, SEBRAE, centro de inovação em IA. Londrina está em um patamar de desenvolvimento de tecnologia invejável e creio que vai crescer muito mais. Temos tudo para ser um centro de referência muito relevante no contexto nacional e da América do Sul”, detalhou.

Foto: Emerson Dias/ NCom

Presente na comitiva que esteve na Índia, o presidente do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (CODEL), Alex Canziani, citou que o planejamento estratégico da cidade, indicado no Masterplan 2040, visa que Londrina seja cada vez mais inovadora, sustentável e com qualidade de vida para seus habitantes. “Hoje damos um grande passo para que possamos chegar lá através dessa parceria, que já é de alguns anos, com a TCS. No ano passado, a TCS foi a sexta maior empregadora da cidade, e a expectativa é que esse ano se torne a maior. Em seu nonagésimo aniversário, pois Londrina completará 90 anos, temos esse presente, como um reconhecimento de que estamos no caminho certo. Temos trilhado o caminho da inovação, do desenvolvimento, geração de empregos e de mão de obra qualificada. E esse será nosso maior desafio, atender essa demanda da inovação e do desenvolvimento”, apontou.

Foto: Emerson Dias/ NCom

E o diretor de Recursos Humanos da TCS no Brasil, Renato Sposito, complementou que as oportunidades de crescimento e capacitação para os novos funcionários admitidos em Londrina serão as mesmas já ofertadas às demais unidades da TCS em diversos países. “A gente fala muito em crescer e trazer empregos, mas não é só isso. É sobre trazer empregos de qualidade, que sejam sustentáveis ao longo do tempo. Por mais que uma função seja simples, todos na TCS têm as mesmas oportunidades de desenvolvimento que nossos colegas na Índia, Estados Unidos, Japão e Europa. Então cada uma das pessoas que admitirmos em Londrina estará exposto às mesmas oportunidades de crescer, aprender e desenvolver sua carreira de maneira exponencial”, disse.

Foto: Emerson Dias/ NCom

Representando o Arranjo Produtivo Local (APL) de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) de Londrina e Região, a presidente Ana Paula Murakawa trouxe dados importantes do setor, que se fortalece ainda mais com a expansão da TCS na cidade. “Hoje nós correspondemos a 10% do PIB do município, e geramos 41 mil empregos. Trabalhamos juntos para que as empresas cresçam, gerem novos empregos e a gente consiga atrair ainda mais empreendimentos para cá. Temos mais de dez instituições de ensino que trabalham tecnologia e inovação, e mais de 150 startups. Esse é o grande resultado de um trabalho empreendedor, e temos agora uma demanda, uma responsabilidade como governança, com as instituições de ensino em peso dentro dessa identidade”, citou.

Foto: Emerson Dias/ NCom

Ao final da apresentação do plano de expansão da TCS, o CEO da companhia Bruno Rocha foi nomeado “Embaixador de Londrina”, pela dedicação e empenho que tem prestado em prol da cidade. A homenagem foi entregue pelo prefeito Marcelo Belinati acompanhado do presidente da Codel, Alex Canziani.

A solenidade reuniu diversas autoridades na sede administrativa da Prefeitura. Entre elas, membros do secretariado municipal, o vice-prefeito João Mendonça, a deputada federal Luisa Canziani, os deputados estaduais Cobra Repórter e Tiago Amaral, mais os vereadores Emanoel Gomes, Jairo Tamura e Eduardo Tominaga, que representa o Executivo na Câmara Municipal.

Também participaram do evento o presidente da Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná (Faciap) e membro do Conselho Deliberativo do Sebrae-PR, Fernando Moraes; o presidente do Ecossistema de Inovação de Londrina “Estação 43”, Lucio Kamiji; o gerente da Regional Norte do Sebrae-PR, Rubens Negrão; entre outros.

Com informações:Assessoria

MAIS INFORMAÇÕES NA RÁDIO FM 107.1

Postagens relacionadas

Homem que levou golpe de facão no pescoço é preso pela PM

Rolândia já vacinou 675 pessoas contra a Covid-19

Duas pessoas ficam gravemente feridas em acidente na PR-437

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais