O Portal do Norte do Paraná
MundoEventos

ONU homenageou Ricardo Boechat no Dia Mundial do Rádio

Em mensagem para o Dia Mundial do Rádio, comemorado ontem (13), o secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu que o meio de comunicação seja usado para promover o diálogo, a tolerância e a paz. O dirigente lembrou que o rádio alcança mais pessoas no mundo do que qualquer outro meio de comunicação. No Brasil, a UNESCO marca a data com uma homenagem a Ricardo Boechat, jornalista que, segundo o organismo internacional, “fez do rádio sua maior vocação”.

“O rádio é uma poderosa ferramenta. Mesmo no mundo digital de hoje, o rádio chega a mais pessoas do que qualquer outra plataforma de mídia”, afirmou Guterres.

Em 2019, o tema do Dia do Rádio foi “Diálogo, Tolerância e Paz”. Atualmente, a UNESCO estima que mais de 70% da população mundial tenha acesso ao veículo de comunicação. Esse tipo de alcance global só é equiparado à penetração dos telefones celulares. Em países em desenvolvimento, pelo menos 75% dos domicílios têm um aparelho de rádio.

“É uma plataforma pessoal e interativa na qual as pessoas podem transmitir os seus pontos de vista, as suas preocupações e as suas queixas. O rádio pode criar uma comunidade”, acrescentou o secretário-geral.

Guterres lembrou ainda que, na ONU, sobretudo nas missões de paz, o rádio é um meio fundamental para informar e reunir pessoas afetadas pela guerra.

“Neste Dia Mundial do Rádio, vamos reconhecer o poder do rádio e promover o diálogo, a tolerância e a paz”, concluiu o dirigente.

 

 

Homenagem a Ricardo Boechat

Em suas redes sociais, a Representação da UNESCO no Brasil compartilhou uma gravação do brasileiro Ricardo Boechat em que o jornalista explica por que o rádio segue conquistando públicos até hoje.

O organismo internacional homenageou o apresentador da Rádio BandNews FM, falecido num acidente de helicóptero na segunda-feira (11), e descreveu o profissional como “o jornalista que fez do rádio sua maior vocação”. Confira abaixo o post e o depoimento de Boechat:

https://twitter.com/UNESCOBrasil/status/1095667413582983174

 

UNESCO pede diversidade nos programas e emissoras de rádio

Também por ocasião do dia mundial, a chefe da UNESCO, Audrey Azoulay, afirmou que a data é uma oportunidade para celebrar o papel das estações de rádio – das grandes redes internacionais às emissoras comunitárias – em estimular o debate público, aumentar o envolvimento cívico e inspirar a compreensão mútua.

“Até os dias atuais, o diálogo através das ondas aéreas pode oferecer um antídoto para a negatividade que por vezes parece predominar no universo online, e é por isso que a UNESCO trabalha em todo o mundo para melhorar a pluralidade e a diversidade das estações de rádio”, disse a dirigente.

“Os desafios que nós enfrentamos – seja a mudança climática, os conflitos ou a ascensão de visões de mundo divergentes – dependem cada vez mais da nossa habilidade de dialogar com os outros e de encontrar soluções conjuntas.”

Audrey ressaltou a capilaridade do rádio, que consegue chegar e dar voz a pessoas de diferentes níveis de renda e contextos sociais.

“As mulheres que vivem em áreas rurais, por exemplo, constituem um dos grupos mais sub-representados nos meios de comunicação. A probabilidade de elas serem analfabetas é duas vezes maior do que a dos homens e, por isso, o rádio pode ser a sua salvação, para que consigam se expressar e ter acesso à informação”, explicou a autoridade máxima da UNESCO.

A dirigente apontou que a agência dá apoio a estações de rádio em países da África Subsaariana para promover a participação das mulheres no debate público.

Um dos objetivos desses esforços é pautar assuntos frequentemente deixados de lado, como os casamentos forçados, a educação das meninas e o cuidado com as crianças.

“A variedade linguística nas transmissões também é essencial – o direito de as pessoas se expressarem em suas próprias línguas, o que adquire um significado especial este ano, quando a UNESCO lidera a comunidade internacional nas celebrações do Ano Internacional das Línguas Indígenas”, acrescentou Audrey.

“Em todo o mundo – das estações de rádio para moradores de favelas no Quênia, para minorias na Mongólia ou comunidades indígenas no México –, a inclusão de populações diversificadas torna as nossas sociedades mais resilientes, mais abertas e mais pacíficas”, concluiu.

O 13 de fevereiro foi proclamado Dia Mundial do Rádio pelos Estados-membro da UNESCO em 2011. No ano seguinte, o dia foi adotado pela Assembleia Geral das Nações Unidas. A data foi escolhida para comemorar o lançamento da Rádio das Nações Unidas em 1946.

 

Informações do site ONU Brasil

Foto: BandNews

Mais notícias na programação da Rádio Cultura AM 930

Postagens relacionadas

Rádio Cultura transmite Missa de Consagração à Nossa Senhora nesta sexta

Estão abertas as inscrições para Rainhas e Princesas da Oktoberfest de Rolândia

Cobra News (User)

Menino de 5 anos é resgatado de poço de 32 metros no Marrocos; criança está morta

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais