O Portal do Norte do Paraná
Política

Londrina ganha aporte de R$ 1 milhão para fortalecer políticas de igualdade racial

As políticas públicas de igualdade racial e combate à violência contra a população negra ganharão um importante incremento em Londrina. Em encontro realizado na tarde desta sexta-feira (14), no gabinete do prefeito Marcelo Belinati, a deputada federal Carol Dartora formalizou o repasse de cerca de R$ 1,6 milhão à cidade, somando recursos viabilizados por diferentes emendas parlamentares de sua autoria. Deste total, cerca de R$ 1 milhão é destinado à aplicação para serviços dessa natureza.

Uma das representantes do Paraná em atividade no Congresso Nacional, ela viabilizou R$ 600 mil, em articulação com o Ministério da Igualdade Racial, para a implantação do primeiro Centro de Referência da Igualdade Racial de Londrina, e mais R$ 200 mil para a aquisição do kit de equipagem para o Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial de Londrina (CMPIR). Esses recursos haviam sido anunciados, extraoficialmente, em uma visita da deputada federal Carol Dartora à Prefeitura de Londrina, em abril deste ano.

Também foi anunciado, durante a reunião de hoje (14), o repasse de R$ 200 mil que contempla a Universidade Estadual de Londrina (UEL), para o fortalecimento do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros (NEAB). Além destes recursos, ainda foi divulgada uma nova verba, de cerca de R$ 600 mil, para o Fundo Municipal de Saúde de Londrina.

Foto: Emerson Dias / N.Com

Este conjunto de aportes federais contribuirá para que Londrina continue avançando, aprimorando e consolidando seus mecanismos na luta antirracista, agregando ao empenho de diferentes esferas de atuação – movimento negro, universidades, poder público e sociedade civil.

Nesse contexto, o prefeito Marcelo Belinati enalteceu o trabalho desenvolvido na cidade, construído a várias mãos e frentes mobilizadas. “Só posso agradecer à deputada Carol por este pacote tão importante e relevante que beneficiará tantas pessoas em Londrina, especialmente aquelas que mais precisam de suporte. Temos na cidade pessoas que batalham arduamente e incessantemente em prol da igualdade racial. As políticas na área são geridas de maneira séria e comprometida no Município, temos uma gestão de Promoção da Igualdade e um Conselho Municipal muito ativos, parte de um movimento muito mais amplo que envolve vários segmentos. Parabenizo a atitude da deputada e fico muito feliz em ver isso sendo confirmado”, afirmou.

O prefeito também disse que, a partir da oficialização dos recursos, será estudada e avaliada a melhor forma de instalar o inédito Centro de Referência da Igualdade Racial em Londrina. “É necessário trabalhar esse projeto da melhor maneira, para garantir que este novo espaço seja um polo acessível e de apoio à população. Esse incremento, incluindo a equipagem do Conselho Municipal e seu fortalecimento, é de suma importância, mas ainda há muito o que fazer adiante. E Londrina também ter recebido recursos para o Fundo Municipal de Saúde e para a UEL reforçam o comprometimento da deputada Carol Dartora com o Paraná e seus eleitores”, completou.

Foto: Emerson Dias / N.Com

A deputada federal Carol Dartora, primeira mulher negra eleita deputada federal pelo Paraná, contou que as ideias foram articuladas após vários diálogos, até chegar a formalização das emendas, salientando que é importante abastecer uma combinação perene de educação de base, estruturação de políticas públicas, aplicação da legislação e combate à violência racial. “A ideia, com esses recursos, é incentivar a produção de conhecimento, fomentar o uso da lei de forma prática e real, criar condições melhores de trabalho e fortalecer a política antirracista. Temos que reduzir a violência contra a população negra em todos os contextos, nas ruas e nas escolas. Uma sociedade violenta como é a brasileira, em tantas instâncias, só vai evoluir de verdade se tivermos um crescimento paralelo neste campo da igualdade racial e social”, analisou.

Dartora frisou que Londrina, uma das cidades que mais trouxeram votos a ela, é referência nesse campo de atuação e vem ocupando seu espaço na luta contra o racismo. “Enxergo Londrina como uma cidade bem-estruturada e avançada nesse sentido, com uma rede integrada constituída e unida, com uma política que vem se aprimorando e conquistando seu espaço. É um trabalho coletivo bonito. Espero que essa estrutura se amplie muito mais e mais representantes do poder público possam contribuir”, pontuou.

Foto: Emerson Dias / N.Com

Segundo a gestora municipal de Promoção da Igualdade Racial do Município de Londrina, Juliana Bueno, as emendas oficializadas são as primeiras repassadas pela Câmara Federal voltadas às políticas raciais em Londrina. “Isso é de extrema relevância, fruto de um trabalho que vem se consolidando coletivamente aqui, via Conselho, gestão municipal, os movimentos sociais envolvidos, e pela abertura do Executivo em ouvir, dialogar e ajudar a criar condições e soluções, valorizando o combate às desigualdades étnico-raciais. Esses valores se somam à nossa luta, teremos um Centro de Referência e um Conselho criado para acolher e prestar assistência à nossa população, de forma humanizada e equitativa. A intenção é promovermos a formação de servidores e colaboradores, ampliando o alcance das ações”, sinalizou.

O encontro desta sexta-feira (14), na Prefeitura de Londrina, contou com a presença de lideranças e integrantes do Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial de Londrina (CMPIR), secretarias e órgãos municipais; representantes do movimento negro da cidade, entre professores, pedagogos, historiadores, pesquisadores e ativistas; docentes da UEL e membros do NEAB.

Foto: Emerson Dias / N.Com

Centro de Referência – Este local, inédito em Londrina, prevê a atuação integrada de profissionais de várias áreas, incluindo prestação de serviços ligados aos campos de Assistência Social, Direito, Psicologia e outras, bem como ministrantes de oficinas que devem integrar o corpo de atividades formativas idealizado.

O Centro de Referência da Igualdade Racial será edificado em três pilares estruturais que são, primeiramente, o atendimento e acolhimento inicial a vítimas de violência racial; depois vêm as ações de capacitação e formação para a geração de renda voltadas a mulheres negras, por meio de oficinas, palestras e consultorias, criando oportunidades para as atendidas saírem da informalidade e obterem autonomia; de forma paralela, a realização de trabalhos educacionais em torno da Lei Federal 10.639/2003, que estabelece a obrigatoriedade do ensino de história e cultura afro-brasileira dentro das disciplinas que já fazem parte das grades curriculares dos ensinos fundamental e médio.

Conforme a gestora municipal de Promoção da Igualdade Racial do Município de Londrina, Juliana Bueno, depois de receber a formalização dos recursos da deputada federal Carol Dartora, o Município começará a tramitar sua aplicação. “Nos próximos passos, a administração definirá o espaço físico para implantar o Centro. Vale ressaltar que, além de um local físico, nossa ideia é ter um atendimento também itinerante por meio da equipagem do Conselho (CMPIR), incluindo um veículo para acessar as periferias e locais onde a população negra se encontra. O intuito é alcançar a população de forma equiparada e qualitativa. Tem sido fundamental a articulação do movimento negro em Londrina, isso precisa ficar demarcado, e tenho a felicidade de poder suceder agora a Fátima Beraldo, que com tanto afinco se dedicou por esse trabalho. Hoje temos representantes da rede junto à UEL, Ministério Público e poder municipal nas diversas secretarias”, concluiu.

MAIS INFORMAÇÕES NA RÁDIO FM 107.1

Informações da assessoria de imprensa

Postagens relacionadas

TSE repudia falas de Maduro e cancela envio de observadores para eleições na Venezuela

Cobra News (User)

Empresas vão doar 2 milhões de quilos de carne ao RS, anuncia Lula

Cobra News (User)

Vereador de São Sebastião da Amoreira propõe redução de cadeiras no legislativo

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais