O Portal do Norte do Paraná
Policial

Justiça manda soltar jovem acusado de matar namorada em Arapongas

A Justiça determinou a soltura do jovem João Marcos Ribeiro,18 anos, acusado de matar a tiros a namorada dele, Alanis Hazielly Corniani, 18 anos, em Arapongas, no norte do Paraná. O crime ocorreu na madrugada de 27 de novembro na casa onde a vítima morava com a prima. Ribeiro foi liberado após quatro meses de prisão e a notícia causou revolta à família da vítima que irá recorrer da decisão.

Danilo Corniani, pai de Alanis, informou que João Marcos saiu da cadeia no dia 15 de março para responder o processo em liberdade. “Toda família está indignada com isso que aconteceu. Esperava que ele fosse mantido preso até o julgamento. É um crime brutal e pelo que a gente ouviu dizer, é um crime que ele estava planejando cometer. Não tem cabimento um criminoso desse estar solto”, disse revoltado.

Segundo ele, existe grande preocupação com a soltura do jovem, principalmente pela segurança de sua sobrinha que testemunhou o crime. Corniani disse que sua advogada vai recorrer da decisão para que o jovem retorne para à prisão. “A família está sofrendo muito, porque minha filha não vai voltar mais. A única coisa que queremos é que a justiça seja feita, que esse crime não vire uma estatística apenas e fique sem punição”, afirma.

Danilo conta que teve pouco contato com João, pois o namoro começou após Alanis ir morar sozinha. A jovem era estudante de Direito e estava estagiando na área. “Vi ele duas vezes só e o resto da minha família viu quatro ou cinco vezes. O caso aconteceu após minha filha ir morar sozinha, buscar a independência dela”, disse o pai de Alanis, que não acredita na versão do jovem sobre o tiro acidental.

“Todos os laudos demonstram que não foi um tiro acidental. Pelo ângulo da bala, a maneira que atingiu. Ele disse que a arma disparou, mas foi feito perícia e a arma não tinha nenhum defeito. Não tem como um tiro desse ser acidental. Ele disse que estava descarregando a arma igual ele alega, ele não ia carregar a arma de novo pronto para dar outro disparo, né?”, indaga.

RELAÇÃO CONTURBADA

O pai de Alanis disse que após a tragédia soube por meio de amigos que a filha estava em um relacionamento tóxico. “Eles tinham uma relação bem conturbada. A gente ficou sabendo pela boca das amigas que ele era possessivo e ciumento. Não era uma relação saudável. Ele privava ela de muita coisa, de usar alguma roupa, mandava ela tirar”, conta.

Conforme a defesa da família de Alanis, Ribeiro vai aguardar o julgamento em liberdade sob justificativa de que ele não traria risco à sociedade. A defesa, entretanto, acredita que a decisão não atende a garantia da ordem pública e vai recorrer da decisão para que o jovem volte para cadeia.

RELEMBRE O CASO

O crime foi na madrugada de 27 de novembro na mesma cidade. Ribeiro foi preso em flagrante e afirma que não foi proposital. Em depoimento à Polícia Civil ele explicou que tudo aconteceu na casa da namorada, onde os dois estavam com uma prima dela. O jovem afirmou que a arma é do pai dele, e que o disparo aconteceu enquanto tentava retirar as munições.

“Coloquei a arma no sofá e disse: ‘Amor, agora vou descarregar porque ela está engatilhada’. Na hora que peguei pra tirar as munições, elas não estavam vindo. Aí puxei pro meu peito, e foi nessa hora que aconteceu o disparo. Nunca tinha mexido nessa arma. Essa foi a primeira vez”, afirmou na época.

Segundo Danilo, após o crime, nenhum familiar de Ribeiro entrou em contato para conversar sobre o caso. “Nem ele e nem a família dele”, afirma.

Com informações de TN Online

MAIS INFORMAÇÕES NA RÁDIO COBRA FM 107.1

Postagens relacionadas

Técnica de enfermagem é agredida em Bela Vista da Paraíso

Cobra News (User)

Em Jaguapitã :Bandidos invadem casa e atiram em homem por engano

Cobra News (User)

Homem morre durante confronto com a polícia em Londrina

Cobra News (User)

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais