O Portal do Norte do Paraná
Brasil

Deputada Amália Barros morre aos 39 anos em São Paulo

Morreu na madrugada deste domingo (12), a deputada federal por Mato Grosso, Amália Barros (PL), aos 39 anos, no Hospital Vila Nova Star, da Rede D’Or, em São Paulo. A parlamentar estava internada na Unidade de Terapia Intesiva (UTI) após passar por cirurgia no pâncreas e acabou sofrendo complicações no processo de recuperação.

Amália passou por cirurgia para remoção de nódulo benigno no pâncreas e precisou ser internada na UTI no dia 3 de maio. Contudo, a parlamentar foi submetida a outras 3 cirurgias após sofrer hemorragias no órgão e acabou sendo intubada.

No último domingo (5), Amália apresentou melhora e deixou a intubação. Até então, a deputada respirava sem a ajuda de aparelhos e permanecia em observação. Já na segunda-feira (7), o boletim médico apontava que ela havia apresentado “melhora satisfatória”. No entanto, na manhã da última quart-feira (8), a situação se agravou e ela retornou para intubação em estado “gravassímo”.

Nas redes sociais a deputada Janaina Riva (MDB), a ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro (PL) e amigos de Amália chegaram a fazer uma corrente de oração pela recuperação dela. No entanto, o quadro evoluiu muito rápido e parlamentar acabou falecendo diante das complicações.

História

Amalia Scudeler de Barros Santos nasceu em 22 de março de 1985, na cidade paulista de Mogi Mirim e se formou em jornalismo. Aos 20 anos de idade, Amália perdeu a visão do olho esquerdo por conta de uma infecção, a toxoplasmose. Após passar por 15 cirurgias, ela teve, em 2016, que remover o olho e passar a usar uma prótese ocular.

Em 2021, Amália lançou o livro “Se Enxerga!: Transforme desafios em grandes oportunidades para você e outras pessoas”, contando sua história, fundou o Instituto Amália Barros, rebatizado posteriormente como Instituto Nacional da Pessoa com Visão Monocular. Por meio dele, a deputada federal realizou diversas campanhas de arrecadação de recursos e doações de próteses oculares e lentes esclerais, beneficiando milhares de pessoas.

Além disso, ela se dedicou à aprovação da Lei. 14.126/2021, que classificou a visão monocular como deficiência sensorial e deu às pessoas com visão monocular os mesmos direitos e benefícios previstos para pessoas com deficiência.

Filiada ao Partido Liberal (PL), a jornalista foi eleita deputada federal por Mato Grosso, em 2022, recebendo mais de 70 mil votos, aproximadamente 5% dos votos do estado. Na Câmara, ela passou a integrar as comissões de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência, dos Direitos da Mulher e da Educação, entre outras.

Com informações:R7

MAIS INFORMAÇÕES NA RÁDIO COBRA FM 107.1

Postagens relacionadas

Vacinação no Brasil: o número de pessoas com a primeira dose contra a Covid passa de 48 milhões

Estados do Sul e do Sudeste firmam protocolo para ações conjuntas

Após rompimento de barragem, BNDES anuncia crédito para municípios

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais