O Portal do Norte do Paraná
BrasilComunidade

Saúde faz operação para evitar desabastecimento de vacinas

De acordo com a Secretaria de Estado, o Ministério da Saúde tem repassado ao Paraná um número de doses inferior à demanda. É o caso da meningocócica C conjugada. Providências já foram tomadas para solucionar o problema.

 

A Secretaria de Saúde do Paraná está fazendo uma operação emergencial para avaliar a situação dos municípios paranaenses com relação às vacinas que fazem parte do Programa Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde.

De acordo com o diretor-geral da secretaria, Nestor Werner Junior, o Paraná, assim como outros Estados, está recebendo doses em quantidades insuficientes de quase todas as vacinas do programa. “Um exemplo é o caso da meningocócica C conjugada. A nossa demanda é de 88 mil doses por mês e o ministério envia uma média de 66 mil. Ou seja, uma quantia bem abaixo da necessária”, explica.

Por isso, a secretaria faz um levantamento minucioso do estoque de cada uma das Regionais de Saúde, para que a nova gestão possa tomar providências. Também ocorre um remanejamento das doses entre as regionais com o objetivo de evitar o desabastecimento e atender a população da melhor forma possível.

“Nós estamos atentos a esse problema. Vamos fazer um contato ainda mais próximo com o Ministério da Saúde, do atual governo federal para buscar uma alternativa para essas questões. A população precisa das vacinas e nós vamos em busca de uma solução para esses problemas”, afirma o diretor.

Oeste e sudoeste

A secretaria já tomou providências com relação à região de Cascavel, onde foi comprovada a falta da vacina meningocócica C. Até o fim desta semana, as Regionais de Saúde do Oeste e de parte do Sudoeste vão receber as doses. Para Cascavel, por exemplo, serão entregues 2.880 doses da meningocócica C, número suficiente para atender a demanda atual. Junto com este lote serão enviadas também 2 mil doses da vacina DTP (contra difteria, tétano e coqueluche).

Para administrar os estoques, a nova gestão da Secretaria de Estado da Saúde vem fazendo um alerta constante para que os municípios preencham corretamente o sistema de informações. Dessa forma é possível fazer o remanejamento da vacina o mais rapidamente possível para evitar o desabastecimento.

“A secretaria lamenta a falta de planejamento do Ministério da Saúde, no governo anterior, pois os reflexos são sentidos por todos os paranaenses”, disse o diretor-geral.

Via AENPR

Fotos: Venilton Küchler/Arquivo SESA

Mais informações na programação da Rádio Cultura AM 930

 

Campanha de vacinação.
Londrina,10/05/2018
Foto:Venilton Küchler/Arquivo SESA

Postagens relacionadas

Brasil tem 6.329 mortes e 91.589 casos confirmados por coronavírus

Brasil chega a 11,1 mil mortes por covid-19

Cota do PIS/Pasep: veja como sacar o dinheiro ‘esquecido’; prazo termina hoje

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais