O Portal do Norte do Paraná
Brasil

MPF pede que Youtube retire do ar vídeo em que pastor Valdemiro Santiago oferece feijão para cura do coronavírus

Na última segunda-feira, 11, o Ministério Público Federal (MPF) em São Paulo enviou entrou com um pedido de retirada do ar dos vídeos no Youtube em que o pastor Valdemiro Santiago de Oliveira, da Igreja Mundial do Poder de Deus, aparece oferendo sementes de feijão como cura para o novo coronavírus.

O Google teria cinco dias para cumprir a medida. No documento, os procuradores também pedem que a empresa mantenha o material “preservado e acautelado em arquivos e na íntegra”, para “eventuais e futuras providências de responsabilização processuais”.

O procurador federal Wellington Cabral Saraiva, da Procuradoria Regional da República da 5ª Região, no Recife (PE), afirma que o líder Igreja Mundial “usa de influência religiosa e da mística da religião para obter vantagem pessoal (ou em benefício da igreja), induzindo vítimas em erro, pois não há evidência conhecida de cura da Covid-19 por meio de alguma divindade nem por ingestão ou plantação de feijões mágicos”.

Segundo o G1, este não é o primeiro ofício solicitado pelo MPF direcionado ao líder religioso. Uma notícia crime foi enviada na última sexta-feira, 8, ao Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP) pedindo investigação do pastor Valdemiro por suposta prática de estelionato.

No vídeo, o pastor fala da planta e pede o “propósito de R$ 100 a R$ 1 mil” por ela.

Fonte:G1

Essas e outras informações na nossa programação Rádio Cultura AM 930

 

Postagens relacionadas

Começa pagamento do abono salarial PIS-Pasep; veja datas, quem tem direito e como sacar

Rio Grande do Sul tem alerta para novas inundações severas; Guaíba pode bater novo recorde

Cobra News (User)

JBS inicia distribuição de 120 mil refeições no Dia Mundial da Alimentação

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais