O Portal do Norte do Paraná
BrasilPolítica

Governo Bolsonaro irá reavaliar benefícios pagos pelo INSS

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) planeja enviar ao Congresso Nacional uma Medida Provisória (MP) que tem por objetivo fazer um pente pente-fino em todos os benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

A MP – que pretende apresentar uma série de ações para modernizar e aperfeiçoar a legislação – deve prever um bônus de R$ 57,50 para técnicos e analistas do INSS que descubram irregularidades em pensões e aposentadorias. Espera-se que sejam economizados R$ 9,3 bilhões em 12 meses após a adoção da MP, valor que representa 4,2% do déficit da Previdência previsto para esse ano.

O foco da ação será a pensão por morte, a aposentadoria rural e o auxílio-reclusão. A expectativa é alcançar uma economia de até R$ 9,3 bilhões em um ano, o que corresponde a 4,2% do déficit previsto – de mais de R$ 220 bilhões.

As mudanças na regulamentação destes benefícios devem incluir, no caso de pensão por morte, a exigência de uma prova documental de que o casal estava junto na ocasião da morte, deixando de valer o testemunho de terceiros para atestar casos de união estável.

Em relação à aposentadoria rural, a declaração do sindicato rural deve ser substituída por uma autodeclaração do trabalhador, homologada por agências credenciadas pelo Pronater (Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural).

Já o auxílio-reclusão, benefício pago aos dependentes de um trabalhador preso, desde que ele já tenha contribuído para a Previdência, passará a contar com um período mínimo de contribuição de 12 meses. Além disso, o benefício não poderá ser acumulado e dependerá da renda familiar.

Revisões do Governo Temer

– No Governo de Michel Temer também foi realizado pente-fino em benefícios pagos pelo INSS. O foco foi auxílios-doença e aposentadorias por invalidez pagos há mais de dois anos.

– Os peritos médicos previdenciários passaram a receber, a partir de 2016, R$ 60 por exame extra realizado nos postos do INSS.

– Até 15 de dezembro de 2018, quase 1,2 milhão de perícias tinham sido realizadas no pente-fino dos benefícios por incapacidade.

– Cerca de 651 mil segurados, praticamente a metade dos que foram avaliados nos exames periciais, tiveram o pagamento cortado, reduzindo os desembolsos em R$ 13,8 bilhões.

 

Com informações da Folha de S. Paulo

 

Postagens relacionadas

Datafolha: 79% afirmam confiar muito ou um pouco na urna eletrônica; 20% dizem não confiar

Enem 2024: inscrições terminam nesta sexta; saiba como se inscrever

Cobra News (User)

Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio de R$ 55 milhões

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais