A Notícia Certa!

Home  ›  Notícias  ›  Região  ›  Sentença do caso da falsa enfermeira de Apucarana deve sair em 30 dias

Sentença do caso da falsa enfermeira de Apucarana deve sair em 30 dias

Publicado em: 20 out 2021

Curta nossa página no Facebook e fique por dentro dos fatos que acontecem em todo Paraná.

O processo que apura o desvio de vacinas contra a Covid-19 em Apucarana pela falsa enfermeira Silvânia Regina Ribeiro Del Conte está se aproximando da fase final. De acordo com o juiz responsável pelo caso Oswaldo Soares Neto, a expectativa é de que a sentença possa ser proferida dentro de até 30 dias.

Foram ouvidas as testemunhas do Ministério Público, as testemunhas de defesa e interrogados 13 réus, a exceção do servidor denunciado. Foram solicitadas algumas diligências finais pelo Ministério Público e pelas Defesas que devem ser concluídas no prazo de 10 dias. Em seguida, o processo vai para alegações finais do Ministério Público pelo prazo de 10 dias e depois para as Defesas também por 10 dias. Após as alegações finais, o processo vai concluso para sentença“, explicou o magistrado.

Na semana passada, a promotora Fernanda Lacerda Trevisan Silvério informou que houve instrução do processo onde foram ouvidas, além de Silvânia, outras duas testemunhas de defesa dela. Já na sexta-feira (15), Dr. Oswaldo realizou interrogatórios de 12 pessoas que supostamente foram beneficiadas com aplicação de vacinas e também de Silvânia, que deu detalhes a respeito do desvio das doses.

Durante o interrogatório ao juiz, a ré disse que nunca teria se apresentado como enfermeira ou como técnica de enfermagem para trabalhar como voluntária na vacinação em Apucarana.

RELEMBRE O CASO

A Polícia Civil de Apucarana apreendeu na tarde do dia 15 de maio deste ano, ampolas de vacinas contra covid-19 na casa de uma falsa enfermeira suspeita de ter desviado o material de rede pública de saúde para vender as doses a pessoas que não fazem parte do público alvo da campanha. Na casa da mulher, foram apreendidos também carteirinhas de vacinação, celulares e seringas.

A mulher foi presa e encaminhada a 17 Subdivisão Policial de Apucarana. Ela trabalhou como voluntária na campanha de vacinação contra covid-19 até ser afastada após ser alvo das denúncias.

Durante o cumprimento da determinação judicial, as doses de vacina foram apreendidas (um frasco da Astrazeneca, com cinco doses; um de CoronaVac com um número ainda não determinado de doses e um vazio) e a falsa enfermeira foi presa em flagrante pelo crime de peculato, podendo responder também pelos crimes de falsidade ideológica e infração de medida sanitária.

Segundo o delegado Marcus Felipe da Rocha Rodrigues, a falsa enfermeira atuou como voluntária na campanha de vacinação desde 16 abril lotada na parte interna do Ginásio de Esportes Lagoão.

Em depoimento, ela admitiu o desvio das vacinas, mas negou ter vendido o imunizante que teriam sido desviados para imunizar uma família próxima a detida.

Via:Tn Online

Mais informações na programação da Rádio Cultura AM 930

APOIO

SOBRE

No Portal Cobra News você acompanha as últimas notícias do Paraná, do Brasil e do mundo. Só aqui você encontra informação com credibilidade sobre cultura, política, educação, policial, variedades e muito mais.

Cobra News, a notícia certa!

Sistema Cobra de Comunicação:

NOTÍCIAS

CLUBE DE OFERTAS

FALE CONOSCO

Preencha o formuário abaixo para falar com nossa equipe. Ou se preferir envie sua mensagem via WhatsApp para o número: (43) 99924-1071




© 2020 Cobra News - Todos os direitos reservados.