A Notícia Certa!

Home  ›  Notícias  ›  Comunidade  ›  População da região de Londrina denuncia locais com lixo, mato e possíveis criadouros de mosquito da dengue

População da região de Londrina denuncia locais com lixo, mato e possíveis criadouros de mosquito da dengue

Publicado em: 2 fev 2020

Curta nossa página no Facebook e fique por dentro dos fatos que acontecem em todo Paraná.

Moradores de Cambé, Londrina e Rolândia têm enviado diversas denúncias à nossa equipe sobre lixo descartado indevidamente, mato alto em terrenos vazios e casas abandonadas, além de outros locais que podem estar estar servindo como possíveis criadouros para o Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, Zika e chikungunya. Outro grande problema denunciado é que alguns moradores que não permitem a entrada de agentes de endemias em seus quintais.

Cambé

Em Cambé há uma chácara com carros velhos para desmanche de onde saem muitos mosquitos. Moradores relatam que a situação foi repassada a agente de endemias, mas nada foi feito. Também há relatos de mato alto, lixo, existência de larvas e casos de dengue no Conjunto Ana Eliza 3, Jardim São Francisco e Parque Santa Helena.

Outra situação relatada é sobre casas em que não mora ninguém e o proprietário não realiza a limpeza do quintal.

Londrina

Em Londrina, situações do mesmo tipo são registradas em terrenos vazios nas proximidades do Colégio Estadual Professora Ubedulha Correia de Oliveira, onde há mato, pneus jogados, além de lixo e entulho.

Outro local é o fundo de vale no Conjunto Maria Cecília, ponto em que há muitas garrafas deixadas por pessoas que coletam recicláveis. Na comunidade do Saltinho, há duas pessoas com dengue e situações de moradores que acumulam lixo no quintal das residências.

Além do lixo poder acumular água parada e se tornar criadouro do Aedes, os locais ainda se tornam propícios para abrigar animais como ratos, aranhas e escorpiões, conforme relatado nas denúncias recebidas. Outros locais com o mesmo problema são o Conjunto Milton Gavetti, Jardim Sabará 3 e Ouro Verde, além da Vila Balarotti e Vila Casoni, onde foram registrados casos de dengue.

Rolândia

Desde o último dia 21 de janeiro, a morte de um adolescente de 16 anos por suspeita de dengue hemorrágica vem preocupando a população rolandense. O rapaz morava no Jardim Santiago e a causa da morte ainda não foi confirmada. Há outros casos de dengue no Jardim Santiago e as medidas de combate ao mosquito foram intensificadas, com a maior presença de agentes de endemias da Secretaria de Saúde na região, mas a situação ainda preocupa os moradores.

Rolandenses também relatam situações de piscinas descuidadas, lixo, mato alto em terrenos e casas vazias e entulhos na Vila Oliveira, Conjunto Tomie Nagatani, Jardim Cidade Nova, no CRAS da Vila Oliveira, no Centro, Jardim Pioneiros, Jardim Rosangelo, Conjunto Gustavo Giordani e também no distrito de São Martinho.

Casos de dengue

O boletim semanal da dengue divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde na semana passada aponta 335 casos confirmados em Londrina, 33 em Rolândia e 12 em Cambé.

Denúncias sobre possíveis focos de dengue podem ser feitas à equipe pelo WhatsApp (43) 99123 0369 ou diretamente à Vigilância Sanitária, pelo 3906 1126 (Rolândia), 3174 2600 (Cambé) ou pelo disque dengue em Londrina 0800 400 1893.

 

 

Outras informações na programação da Rádio Cultura AM 930

APOIO

SOBRE

No Portal Cobra News você acompanha as últimas notícias do Paraná, do Brasil e do mundo. Só aqui você encontra informação com credibilidade sobre cultura, política, educação, policial, variedades e muito mais.

Cobra News, a notícia certa!

Sistema Cobra de Comunicação:

NOTÍCIAS

CLUBE DE OFERTAS

FALE CONOSCO

Preencha o formuário abaixo para falar com nossa equipe. Ou se preferir envie sua mensagem via WhatsApp para o número: (43) 99924-1071




© 2020 Cobra News - Todos os direitos reservados.