A Notícia Certa!

Home  ›  Notícias  ›  Paraná  ›  Polícia Civil conclui inquérito de morte em hipermercado e indicia cliente por homicídio doloso

Polícia Civil conclui inquérito de morte em hipermercado e indicia cliente por homicídio doloso

Publicado em: 9 maio 2020

Curta nossa página no Facebook e fique por dentro dos fatos que acontecem em todo Paraná.

A Polícia Civil concluiu nesta sexta-feira (8) o inquérito sobre a confusão no hipermercado Condor, em Araucária, Região Metropolitana de Curitiba, que terminou na morte da fiscal de loja, Sandra Ribeiro. O empresário Danir Garbossa, que recusou o uso da máscara e deu início ao trágico episódio, foi indiciado por homicídio qualificado com dolo eventual, quando o envolvido assumiu o risco de matar. O delegado responsável pelo caso entendeu que o vigilante Wilham Soares, autor do disparo que atingiu a funcionária, agiu em legítima defesa.

Além do homicídio, Garbossa foi indiciado por outros seis crimes. “Ele foi indiciado pelo crime de infringir medida sanitária preventiva; por duas lesões corporais, uma contra o vigilante e outra contra um funcionário do estabelecimento; injúria, pois ele ofendeu verbalmente algumas pessoas ali; perturbação do sossego e do trabalho alheio”, detalhou o delegado, Tiago Wladyka, responsável pelo inquérito.

Homicídio qualificado

Sobre o crime de homicídio qualificado, o delegado explica que o empresário “deu causa ao resultado” quando entrou no mercado “abruptamente”, agiu de forma violenta e avanço contra um vigilante armado, uniformizado e ainda tentou tirar a arma da mão dele. Este último fato é negado pela defesa de Garbossa.

“Se ele chega no mercado, coloca a máscara e entra normalmente, nada disso teria ocorrido. Entendo que ele assumiu o risco de acontecer uma tragédia da forma como agiu. E qualificado, porque dentro do mercado há grande circulação de pessoas e isso gerou um perigo comum”, afirma Wladyka.

Já sobre o não indiciamento do vigilante, ele defende que o mesmo agiu em legítima defesa. Um prontuário médico atestando que Garbossa apresentava uma lesão na mão, imagens de câmeras de segurança e relatos de testemunhas apontariam que de fato houve a tentativa de tirar a arma da mão do segurança e isso reforçaria a tese de legítima defesa.

Defesa do empresário

Em nota, o advogado que defende Danir Garbossa, Ygor Nasser Salah Salmen, informa que seu cliente continua à disposição das autoridades e que ele vai responder pelo que fez “na medida da sua culpabilidade, nada mais”.

O indiciamento já seria esperado, mas ele diz aguardar uma resposta em relação a imagens que teriam sido escondidas do público pelo estabelecimento comercial. “O que essas imagens revelam e que as pessoas não podem saber?”, questiona a nota.

APOIO

SOBRE

No Portal Cobra News você acompanha as últimas notícias do Paraná, do Brasil e do mundo. Só aqui você encontra informação com credibilidade sobre cultura, política, educação, policial, variedades e muito mais.

Cobra News, a notícia certa!

Sistema Cobra de Comunicação:

NOTÍCIAS

CLUBE DE OFERTAS

FALE CONOSCO

Preencha o formuário abaixo para falar com nossa equipe. Ou se preferir envie sua mensagem via WhatsApp para o número: (43) 99924-1071




© 2020 Cobra News - Todos os direitos reservados.