A Notícia Certa!

Home  ›  Notícias  ›  Paraná  ›  Paraná vê crise de energia e tem até reservatório com capacidade abaixo de 10%

Paraná vê crise de energia e tem até reservatório com capacidade abaixo de 10%

Publicado em: 19 set 2021

Curta nossa página no Facebook e fique por dentro dos fatos que acontecem em todo Paraná.

A estiagem prolongada, que desde meados de 2019 atinge o Paraná, está fazendo com que o nível de água dos principais reservatórios de hidrelétricas no estado fiquem próximo de atingir o nível mínimo necessário para a geração de energia elétrica.

De acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o volume útil de três dos seis principais reservatórios em território paranaense estão abaixo de 20%, num cenário que se torna ainda mais preocupante pelo fato de os reservatórios das hidrelétricas das regiões Sudeste e Centro-Oeste, que concentram 70% de toda a água armazenada no Brasil, também estarem com volume médio baixo (em 21,65%).

No principal rio paranaense, o Rio Iguaçu, por exemplo, o reservatório da Usina Hidrelétrica Governador Bento Munhoz da Rocha Netto, o maior de toda a região Sul, estava com volume de 9,08% na última quarta-feira, conforme informações do ONS. O dado corresponde à parcela de água do reservatório que pode efetivamente ser usada para a geração de energia.

Enquanto em agosto o reservatório localizado em Pinhão, na região central do Paraná, teve volume útil médio de 14,08%, em setembro está abaixo de 10%, o menor valor para o mês nas últimas duas décadas. Já em Salto Santiago, também na bacia Iguaçu e o segundo maior reservatório da região Sul, o volume útil, que chegou a ser de 62,55% em junho último, já se encontra em 28,08%.

A rápida redução no nível dos reservatórios foi registrada principalmente ao longo do último mês, quando o ONS determinou o aumento na geração de energia nas usinas do rio Iguaçu, o que obrigou as hidrelétricas a usarem a água estocada desde o começo do ano. Hoje, porém, essa determinação já nem poderia mais ser cumprida, caso persistisse, conforme a Companhia Paranaense de Energia (Copel).

“Os atuais níveis reduzidos de armazenamento e vazões não permitem elevada geração no Iguaçu. Gera-se o que for possível”, explicou a Companhia, em resposta a uma série de questionamentos encaminhados pelo Bem Paraná, classificando ainda a seca no estado como o fator preponderante para o cenário atual. “Estamos enfrentando a pior crise hídrica dos últimos 91 anos”.

Sem perspectiva de melhora

Ainda segundo a Copel, não há perspectiva de melhora no cenário hidrológico nos próximos meses. A previsão de precipitação para os próximos seis meses, inclusive, ainda são de chuva abaixo da média.

“Além disso, caso entre uma cheia inesperada, é possível que as hidrelétricas tenham a geração elevada para atender ao resto do sistema de forma que, em pouco tempo, se retorne a níveis reduzidos. Para que o cenário hidrológico retorne à normalidade, é necessário que todo o SIN [Sistema Interligado Nacional] melhore a condição de armazenamento.”

Com informações:Bem Paraná

Mais informações na programação da Rádio Cultura AM 930

 

APOIO

SOBRE

No Portal Cobra News você acompanha as últimas notícias do Paraná, do Brasil e do mundo. Só aqui você encontra informação com credibilidade sobre cultura, política, educação, policial, variedades e muito mais.

Cobra News, a notícia certa!

Sistema Cobra de Comunicação:

NOTÍCIAS

CLUBE DE OFERTAS

FALE CONOSCO

Preencha o formuário abaixo para falar com nossa equipe. Ou se preferir envie sua mensagem via WhatsApp para o número: (43) 99924-1071




© 2020 Cobra News - Todos os direitos reservados.