A Notícia Certa!

Home  ›  Notícias  ›  Policial  ›  Em Primeiro de Maio: Pais denunciam aula com conteúdo pornográfico

Em Primeiro de Maio: Pais denunciam aula com conteúdo pornográfico

Publicado em: 28 mar 2022

Curta nossa página no Facebook e fique por dentro dos fatos que acontecem em todo Paraná.

Pais de alunos do sétimo e oitavo anos do Colégio Estadual Marechal Castelo Branco, em Primeiro de Maio, alegam que uma professora teria utilizado conteúdo pornográfico em uma aula.

Segunda a denúncia, em uma atividade na disciplina de língua portuguesa sobre gênero textual: crônicas, realizada em uma praça próximo do colégio, um aluno estaria com o livro “Sexo na Cabeça”, de Luiz Fernando Veríssimo. A publicação traz 45 crônicas do autor.

“Notei algo estranho e que uma criança estava com um tipo de livro que não era apropriado para a idade e quando li sexo na cabeça logo pesquisei na internet e quando vi a descrição achei um absurdo”, diz a dona de casa Poliana Silvero que presenciou a atividade e fez um desabafo nas redes sociais.

Segundo ela, o diretor foi informado e concordou que o livro não era apropriado e disse que não sabia que esse material seria utilizado no atividade.

“Não sei qual era a intenção da professora com esses alunos. Tentaram me calar dentro da sala em reunião privada e que se eu não me retratasse nas minhas redes sociais eles iriam me processar”, comenta Poliana.

A mãe de uma aluna, ao ter conhecimento da atividade, também foi até o colégio reclamar e que diante de nenhuma providência ter sido tomada ela e outra mães procuraram o Ministério Público para fazer uma denúncia.

“Minha menina já tinha relatado sobre o comportamento meio diferente da professora em algumas aulas. O que eles falaram no colégio é que o conteúdo é impróprio e que se tivessem conhecimento não deixariam a professora fazer o uso, mas também não quiseram tomar atitude correta diante da situação”, afirma Simone Mansano ao acrescentar que a filha não quer mais participar das aulas.

A direção disse à equipe de reportagem que por enquanto não se manifestar sobre o caso.

A professora envolvida na situação também preferiu não gravar entrevista. Entretanto, ela esclareceu que estava trabalhando o gênero crônicas, que é previsto dentro do parâmetros curriculares nacionais, e que inclusive, o autor Luiz Fernando Veríssimo é uma referência dentro dos livros didáticos do Estado.

A professora disse ainda que a atividade envolveu 20 livros de crônicas, 9 do acervo dela e os demais da biblioteca, e que cada aluno escolheu um.

Tantos os pais quanto a professora buscaram auxílio de advogado para que a situação seja resolvida.

Sintonize FM 107.1

Via Tarobá News

APOIO

SOBRE

No Portal Cobra News você acompanha as últimas notícias do Paraná, do Brasil e do mundo. Só aqui você encontra informação com credibilidade sobre cultura, política, educação, policial, variedades e muito mais.

Cobra News, a notícia certa!

Sistema Cobra de Comunicação:

NOTÍCIAS

CLUBE DE OFERTAS

FALE CONOSCO

Preencha o formuário abaixo para falar com nossa equipe. Ou se preferir envie sua mensagem via WhatsApp para o número: (43) 99924-1071




© 2020 Cobra News - Todos os direitos reservados.